FLORCAVEIRA
Religião e Panque Roque desde 1999


No Facebook:
facebook.com/florcaveira


No Bandcamp:
florcaveira.bandcamp.com


Email:
florcaveira@gmail.com


Encomendar Discos e T-Shirts
Aqui.


Destaques


"Há Lugar"
2,5€



"Enxoval"
2,5€



"Introdução a Bruno Morgado"
13€



"Amamos Duvall"
5€



"Alex Teixeira - Não É Um Projecto"
2,5€



"As Oportunidades Perdidas de Bruno Morgado"
2,5€



"A Descondecoração de Samuel Úria"
2,5€



sexta-feira, novembro 27, 2009

Samuel Úria - Nem lhe tocava

Nas lojas na próxima 2ª feira, 30 de Novembro.


Samuel sobre os abismos

Se António fundia Braga e Nova Iorque, Samuel atravessa Dylan e Paião, Vitorino e Waits. Se Variações soube pôr mundo no Minho, Úria põe este mundo no outro, e o outro neste, e tudo em breves canções orelhudas. Mas, por favor, nada de mal-entendidos. Este artista é de sínteses, não é sintético. Isto é música muito humana, de carne e osso, verdadeira e impura, cordas, respirações, arranhões, falsetes. Um cantautor a sério a brincar com o seu tesouro. O quê, nomes, História? Bem, vamos a isso: Zeca Afonso, António Variações, Sérgio Godinho e – Samuel Úria. Sim, isso mesmo. E não, não é nenhum “por exemplo”.

Esta música não tem medo de atacar o clichê mesmo no meiinho, naquele ponto onde ele é mais sensível. Vira-o, desvira-o, reinventa-o de tal maneira que, quando damos por nós, estamos a olhar-nos ao espelho destes monumentos disfarçados de coisa respigada. Para os alternativos, fica o aviso: não se assustem com o aparato de produção, não há aqui nenhum “compromisso”, nenhuma “cedência”. Pelo contrário, este “Nem Lhe Tocava” (que título do caraças, meu) é objecto perigoso, perigosíssimo. E, para os convencionais, só um recado: ouçam sem preconceitos, sem pressas, com a calma possível, no meio do mundo, e depois vejam que tal. Em verdade vos digo, Samuel Úria é tão bom que devia ser proibido. Ele compõe, escreve, toca, canta, teatra, arranja, dispara mais rápido que qualquer sombra, faz tanto e tudo bem. Mais que bem, brilhantemente, incrivelmente, genialmente, despretensiosamente. Mas, pois, não me puxem pelo advérbio.

Podia falar de “Não arrastes o meu caixão” – quando primeiro a ouvi, arrisquei que era um fado-spaghetti, agora não sei se não será mais um western-sarrabulho – ou de “Rua da Fonte Nova, 171” – um ar-de-blues ao mesmo tempo comovente e contido – ou de “Teimoso” – sucesso pop em falsete fabuloso que põe Beck e PREC na mesma faixa –, mas, num disco destes, é demasiado difícil escolher só uma canção, só duas, só três. À volta de “Nem lhe tocava” devia haver uma fita vermelha com o aviso: aqui há mesmo 12 canções.

Não, para falar desta grandeza, temos de nos socorrer dos clássicos, não há hipótese. Samuel Úria diz-se “músico ligeiro”, mas o facto é que estas canções conseguem, e citemos Drummond, “erguer-se em arco sobre os abismos”.

Jacinto Lucas Pires

terça-feira, novembro 24, 2009

Samuel Úria - Nem lhe Tocava

"Está já a ser ultimado o disco de Samuel Úria. Gravado, misturado e masterizado nos Estúdios da Valentim de Carvalho, o LP regista o artista numa autêntica manta de retalhos musical. A coser cada remendo está o fio condutor da canção pura. Costura-se o trajecto entre a infância beirã e a eternidade próxima, seja em confissões despojadas, seja em melodias de uma reminiscência radiofónica cantável.
O disco produzido por Tiago Guillul e gravado por Nélson Carvalho e Tiago de Sousa,conta com a participação de uma banda com vários insignes da família FlorCaveira e assinala ainda convidados especiais como Celina da Piedade, Jorge Cruz, Luís dos Golpes ou B Fachada."

Agenda actualizada.

quinta-feira, novembro 05, 2009

DIABO NA CRUZ

"Entre os discos onde e vislumbra alguma memória da música popular portuguesa (não são muitos, é certo), é a coisa mais fascinante que por cá já se escutou desde o projecto Humanos. (...) Num país onde se faz tanta música amnésica, ver gente a ligar a electricidade aos ritmos tradicionais é um consolo para a alma."
João Miguel Tavares, Time Out

"E, acima de todos, os Diabo na Cruz, um supergrupo nacional que junta Jorge Cruz, B Fachada e Bernardo Barata, entre outros, na união definitiva e quase perfeita do melhor rock com a tradição portuguesa que se pode ouvir."
António Pires, i

"Não se trata tanto de reinventar a música portuguesa quanto de reavaliar certas marcas que a modernidade descartou em favor de outra coisa qualquer. Um corridinho progressivo, farrapos de folclore colados em blusão de ganga, canções iluminadas por aquelas lâmpadas que se acendem em certas cabeças certas. "
Rui Miguel Abreu, Blitz

quarta-feira, novembro 04, 2009

DIABO NA CRUZ - VIROU!

No próximo dia 9 de Novembro, 2ª feira, estará à venda na FNAC e também aqui o primeiro disco de Diabo na Cruz.


VIDEOCLIPES


Xungaria no Céu - "Tou Pronto"


Samuel Úria - "Eu Seguro"


Tiago Cavaco - "Homens de Água"


Tiago Cavaco - "100 Toneladas"


Tiago Cavaco - "Amamos Duvall"


Samuel Úria - "Forasteiro"


Alex D'Alva Teixeira - "3tempos"


Os Lacraus - "As Cabanas do Tédio"


Os Lacraus - "Um Peito em Forma de Bala"


Rapaz do Sul do Céu - "Subtracção e Não Soma"


Tiago Guillul - "Nabucodonosor"


Tiago Guillul - "Praia Verde"


Tiago Guillul - "São Sete Voltas P'rá Muralha Cair"


Samuel Úria - "Não Arrastes o Meu Caixão"


Diabo Na Cruz - "Dona Ligeirinha"


Tiago Guillul - "Beijas como uma Freira"